51  ANOS  SERVINDO  PRESIDENTE  PRUDENTE E  REGIÃO

 

          Médicos pioneiros, que praticavam uma medicina com amplo espectro de ações, e com uma visão integrada do ser humano, há 51 anos, desde 1957, se reuniram, formando uma sociedade com o objetivo de constituir um hospital para prestar assistência às pessoas portadoras de transtornos mentais, já que não existia em toda  região um local apropriado voltado para esta finalidade específica.  

          Estes médicos eram e são os marcos da medicina prudentina, e por que não dizer da medicina brasileira:   Dr. Américo Di Migueli,  Dr. Adoniro Cestari, Dr. Cícero de Campos Gurgel, Dr. Ennio Botelho Perrone,  Dr. Gabriel Costa Neto,  Dr. Haroldo Francisco Cerávolo,  Dr. Jacomino Leonardo Cerávolo,  Dr. Odilo Antunes Siqueira escolheram uma área ampla, em local elevado e  planejaram uma estrutura física adequada e específica para tratamento e proteção dos doentes mentais. Contrataram profissionais especializados para auxiliá-los no tratamento dos doentes e na administração do serviço. Desde então passaram pela Instituição, idealizada por estes médicos humanistas, diversos e competentes profissionais, entre eles o Dr. João Nicolau (falecido em 17/09/1968) que assumiu posteriormente a Direção da Instituição. Em 1975 o seu filho, Dr. Paulo Fernando  de Moraes Nicolau, auxiliado pelo  Dr. Carlo Ceriane, italiano de nascença , brasileiro de alma e prudentino de profissão, pessoa extremamente culta e de caráter exemplar, também coordenador dos Cursos de Ciências da Saúde da Universidade do Oeste Paulista, falecido em 1996.   O ilustre Dr. Ítalo Honório Cerávolo (primeiro Secretário de Saúde do Município),  falecido em 09/06/1997, foi orientador científico, fundador e coordenador do serviço de clínica médica e ginecologia do Hospital, trabalho que executou em função de seu amor aos que sofrem da mente e não dispensou seu inestimável conhecimento e carinho.  Ainda  outros: Drª. Mariza Fontão, Dr. Sergio Yutaka Sato, Dr. Arnaldo Zorzetto Filho, Dr. Sinval de Souza Cruz, Drª. Gislaine Fontana,  Drª. Marilane Ton dos Santos, Dr. José Ronis da Paixão, falecido em 26/07/1995,  Dr. Eudes Carlos Almeida, Dr. Giovanni Lopes de Farias, Dr. Manoel Cesar da Camara Oliveira, Dr. Antonio Santana Meneses e muitos outros que ainda atuam no serviço.  

          Hoje o Hospital conta com uma estrutura complexa, preparada para dar respostas em níveis de atenção secundária e terciária  às pessoas portadoras de transtornos mentais, tratando suas manifestações psicopatológicas e sociais  (psicoses funcionais, orgânicas, exotóxicas, reativas, etc.)  em regime ambulatorial e de internação.

          O tratamento desenvolvido observa  a pessoa como um “todo” indivisível, sob seus aspectos biopsicossociais. A Equipe Técnica do Hospital conta com médicos psiquiatras, médicos clínicos, assistentes sociais, psicólogos, terapeutas ocupacionais, fisioterapeuta, nutricionistas, farmacêutico e bioquímico, cirurgião dentista, enfermeiros, professor de educação física, escola de educação de adultos e cursos profissionalizantes. O Hospital possui um Atendimento Psiquiátrico de Urgência permanente,  Serviço de Eletrencefalografia, também um dos primeiros da Região implantado e dirigido por vários anos pelo Dr. Hugo Luciano Wascheck, neurologista e eletrencefalografista.

          O Hospital orienta seus princípios de ação na moderna psiquiatria, sempre dinâmica  e em constante reestruturação, concorrendo para este fim uma integrada equipe multiprofissional sob a orientação técnica e administrativa  do  Dr. Paulo F. M. Nicolau, já há 28 anos na direção, auxiliado por outros profissionais também experientes como Sr. Dionizio Catussi (Administrador), Srtª. Maria Lúcia Caldeira (Controle Hospitalar e Bioestatística), Srtª.  Denise de Fátima Campioni de Oliveira  (Controle e Avaliação) e  Srtª. Lilian Cristina Bordin  (Farmacêutica e Bioquímica).

          O tratamento visa o binômio paciente-família e seu contexto social sendo realizado pela Equipe Técnica através de atendimentos individuais e em grupos operativos, terapêuticos e reflexivos.

          As famílias são atendidas individualmente ou em grupo, a critério da equipe, sob a coordenação do serviço social.

          A participação dos familiares é extremamente valorizada pela sua importância no processo de recuperação do paciente.

          São utilizados ainda como recursos terapêuticos, além das técnicas de psicoterapias  individuais e de grupo, a quimioterapia, os tratamentos biológicos, a fisioterapia e a terapia ocupacional no intuito de promover a habilitação ou a reabilitação funcional e psicossocial da pessoa em tratamento.

          O Hospital mantém uma chácara adequadamente aparelhada para receber os clientes onde são desenvolvidas atividades socioterápicas, sob supervisão das Equipes Técnicas, com a finalidade de ampliar o campo funcional, tendo em vista a  ressocialização.

          Presidente Prudente, hoje, é uma cidade de referência na região e no estado para tratamento de pessoas portadoras  de transtornos mentais, contando com outros excelentes serviços que vieram a se suceder como dos Hospitais Espíritas Allan Kardec e Bezerra de Meneses e do Ambulatório Regional de Saúde Mental.

          E tudo começou com a iniciativa e a visão humanitária de quem conseguiu sonhar e projetar um futuro melhor para a sociedade com mais justiça social.