• O paciente não  constitui perigo nem para si mesmo nem para outras pessoas.
  • “Funciona” de modo aceitável e já não prejudica nem a si nem aos outros.
  • Apresenta melhora do comportamento suficientemente nítida para manter-se fora do Hospital.
  • O paciente apresenta sintomas em remissão estável.
  • Tem moradia estável para onde voltar.
  • Assume a responsabilidade pelo seu comportamento.
  • Dispõe de tratamento ambulatorial conveniente.
  • Apresenta melhora   significativa   dos  comportamentos  que  levaram o paciente  à internação.
  • O paciente mostra  redução  do  incompatível comportamento   desviante   com  o  ajustamento comunitário.
  • Pode continuar o tratamento em base ambulatorial.
  • Recebe o benefício máximo da internação sem previsão de melhora ulterior.
  • Em bom contato com a realidade  é  capaz de  discutir  logicamente sua situação.
  • Aumenta suas habilidades de socialização e já consegue relacionar-se bem com os outros.
  • É capaz de seguir o regime medicamentoso prescrito sozinho ou com a ajuda  de um amigo ou parente.
  • Mostra comportamento social e  higiene pessoal aceitáveis.
  • Capaz de executar trabalho funcional independentemente.
  • Ganha compreensão a respeito do seu problema.
  • Tem recursos econômicos adequados ou fonte regular de renda.
  • Tem chances de conseguir emprego imediato.
  • Pede alta contra a opinião do médico.
  • Tem história de evasões repetitivas quando internado.
  • Não está envolvido em litígio pendente.