I – INTRODUÇÃO

As síndromes psicóticas caracterizam-se por sintomas como alucinações e delírios; pensamento desorganizado e comportamento claramente bizarro, como fala e risos imotivados; distúrbios das relações pessoais e a incapacidade de comunicar-se com clareza. Os sintomas paranóides são muito comuns, como idéias delirantes e alucinações auditivas de conteúdo persecutório.

II – PROCESSO DE ENFERMAGEM  

a) Histórico

  • Anamnese
  • Entrevista com o cliente
  • Observação
b) Diagnóstico de Enfermagem
  • Ansiedade
  • Déficit de auto-cuidado
  • Alteração no padrão do sono
  • Alteração nos processos do pensamento
  • Alteração da senso-percepção
  • Deterioração da comunicação verbal
  • Isolamento social
  • Deterioração da manutenção do lar
  • Potencial de violência, consigo mesmo e com os outros
  • Diminuição da auto-estima
  • Não seguimento do tratamento
  • Ajuste familiar ineficaz
c)  Prescrição
  • Estabelecimento de metas com o cliente.
  • Estabelecimento  de  critérios  para evolução  final  desejada para o cliente.
  • Estabelecimento  de  critérios  para evolução  final desejada para a família.

d) Implementação

  • Observação  e  anotação  do comportamento  que  o cliente manifesta.  Deve  ser completa  e  detalhada  para auxiliar na prevenção de agressões, fugas e suicídio.
  • Fazer um levantamento das necessidades básicas afetadas
  • Hidratação
  • Alimentação
  • Sono e repouso
  • Eliminações
  • Higiene e aparência pessoal
  • Atividade Motora
  • Proporcionar ambiente terapêutico.
  • Ser sincero, cumprir promessas feitas.
  • Orientar sistematicamente para a realidade.
  • Estabelecer  uma relação terapêutica  baseada   na  confiança e no  reconhecimento de      suas qualidades  e  capacidade, reforçando-as.
  • Ser    coerente   na comunicação  verbal e  não verbal, servindo como modelo para o cliente.
  • Na  presença  de  delírios e alucinações  não criticar  ou  menosprezar  as idéias do cliente.
  • Estar  atento   quanto à aceitação do tratamento,  verificar se o cliente toma os medicamentos prescritos.
  • Encaminhar,  mobilizar  oportunidades  para  ocliente  se ocupar e recrear-se em tarefas corretas.
  • Estimular progressivamente a sua interação social. Orientar  cliente e familiares a respeito da  doença, do  possíveis efeitos da medicação, da   importância  do  tratamento  e  de  segui-lo corretamente.  Incentivar  visitas,  observação  da  interação entre eles.
 
Voltar Página Principal